Camila Cabello arrasa nas referências

2018 parece promissor ao ter como trilha sonora o debut álbum “Camila”, de Camila Cabello. Após o incrível hit “Havana”, […]

2018 parece promissor ao ter como trilha sonora o debut álbum “Camila”, de Camila Cabello. Após o incrível hit “Havana”, lançado em outubro do ano passado, a ex-líder do Fith Harmony que foi expulsa do grupo volta aos nossos ouvidos com um álbum sólido o suficiente para arrasar e pra todos invejosos invejarem.

Desde que saiu do grupo, Camila seguiu de cabeça erguida e conquistando espaço. Semana passada, a morena conversou com a Rolling Stone e mostrou como é uma pessoa evoluída e já virou a página. 

Em “Camila”, a voz rouca da artista varia entre inglês e espanhol, além de colocar batidas latinas na faixas. É o caso de “Inside Out”, que também não deixa de lembrar Lady Gaga em “Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)” e as variações vocais de “Never Be The Same” remetem à fase atual de Selena Gomez. Mas é em “She Loves Control” que mais mostra como a artista está antenada no cenário musical, pois faz uma boa pegada de Reggaeton lento.

Já “Real Friends” lembra Justin Bieber em “Love Yourself” – talvez seja o violão (Justin usa guitarra) ou a voz rouca ou a mini sofrência da letra. Mas tenho que admitir que o drama de “Someone’s Gotta Give” é de cantar no ônibus imaginando um clipe na chuva.

De maneira geral, Camila Cabello está excelente neste álbum, dando vontade de ouvir incontáveis vezes. Vai ser difícil algum artista começar TÃO BEM o ano que nem a diva. Escute o álbum aqui e fala a tua opinião pela hashtag #ThisIsCAMILA. Se alguém duvidava se seu potencial vocal, pode ir chorar num cantinho.

SOBRE O AUTOR

Ana Szezecinski

Aquela do sobrenome complicado e que usa protetor solar 50. Estudante de jornalismo.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.