Carry Underwood volta após acidente com performance de “Cry Pretty”

De um lado, artistas como Shawn Mendes compondo músicas sentimentais e com um viés de superação da depressão. De outro, […]

De um lado, artistas como Shawn Mendes compondo músicas sentimentais e com um viés de superação da depressão. De outro, um estilo country que muitos brasileiros aprovam na versão nacional, o sertanejo. Claro que ela não compôs “Cry Pretty” pensando nos brazucas, mas é certo que um vez que se escuta, percebe-se a semelhança do ritmo. Carry Underwood, estrela do country estadounidense, lançou o clipe da música durante sua performance de ontem à noite no episódio de American Idol e deu o quê falar.

A cantora foi a vencedora da quarta temporada do programa que escolhe revelações musicais em 2005 e desde então, se tornou uma das artista mais bem-sucedidas do estilo country nos últimos anos (aquele ritmo que a Taylor Swift costuma cantar). Cantora e compositora, a expectativa pela apresentação de ontem era mais pela circunstâncias do que pelo lançamento de um novo hit de Carry.

O acidente

Em novembro do ano passado, Carry sofreu um acidente doméstico – calma que não foi nada relacionado  com seu marido Mike Fisher, o jogador de hóquei no gelo com quem é casada há 8 anos e tem um filho. Segundo entrevista, a artista estava levando os cães para passear e tropeçou. Na queda, ficou com vários cortes e hematomas, o que lhe rendeu mais de 40 pontos no rosto e uma intervenção cirúrgica. Com isso, ficou meses sem aparecer nos holofotes.

A música

Daí a importância da performance de ontem. Em “Cry Pretty”, Carry fala sobre a possibilidade de se abrir para o mundo, de se expor como é mesmo, e se desculpa por se deixar levar pelas emoções. Ela diz também que você pode fingir uma felicidade, fingir beleza e fingir que não há tristeza, mas quando em casa e sozinha, você não consegue “chorar bonito”.

Essa sensibilidade e exposição da letra se reflete no clipe, mostrando a artista em um chuveiro, chorando e também com a maquiagem borrada. Logo em seguida, aparece recomposta, com roupas de espetáculo e gliter, se dirigindo para o show. Ah, sem falar que a maquiagem da performance imita lágrimas, mas com gliter também.

Não podemos dizer com certeza se a música foi relacionada com o acidente, mas ela foi capaz de provocar arrepios em quem conhecia a história.

SOBRE O AUTOR

Ana Szezecinski

Aquela do sobrenome complicado e que usa protetor solar 50. Estudante de jornalismo.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.