A fina linha entre ser inconveniente e irritante

Imagine que você é um representante comercial. Em uma negociação cujo produto é um xampu para calvície, você se reúne […]

Imagine que você é um representante comercial.

Em uma negociação cujo produto é um xampu para calvície, você se reúne com o dono da empresa.

Descobre que ele é careca.

Negocia, tem um clima legal com o cara.

Resolve fazer uma piada.

“Como vou saber que funciona se você é careca?”

Ele ri sem graça e diz:

“É que estou passando por um tratamento de câncer”.

Tenso né? Essa história aconteceu com o pai do Edu Mendonça. Muitas vezes na vida nos deparamos com aquela coceira na língua para ser zoeiro ou ser ruim, só que antes de qualquer coisa, é necessário analisar friamente a tênue linha entre ser inconveniente e irritante.

Entre gente fungando e tocando em ti enquanto fala, saiba que o nível de inconveniência das pessoas varia. Por vezes, é melhor ser o chato do que o que vive dando mancada. Quando você não sabe qual dos dois você vai ser, não seja nenhum. Né não, Bivis?

Escute o programa completo aqui!

Lição de hoje

Antes de fazer qualquer zoeira, certifique-se que ela só será ofensiva se essa é sua intenção mesmo. É melhor ser irritante do que inconveniente.

Novidades do programa

O nossos pais não gostam, mas que é libertador falar, é. O Cafezinho começou a usar as canecas que mais representam a equipe, que vão acompanhar em todos os programas.

Sem falar que as promoções do Grupo do Cafezinho pensam na sua mamãe também. Se a sua foto for a mais curtida, você pode ganhar uma INSTAX – isso aí, aquela máquina de fotos retrô que sai a foto na hora. Top, né?

Mas tem que participar do grupo e ler o regulamento 😉

 

SOBRE O AUTOR

Ana Szezecinski

Aquela do sobrenome complicado e que usa protetor solar 50. Jornalista.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.