Half-life – um dos maiores legados do mundo dos games

  Lançado em 1998, Half-Life é um dos jogos mais aclamados pela crítica e público mundial. Afinal, o título é […]

 

Lançado em 1998, Half-Life é um dos jogos mais aclamados pela crítica e público mundial. Afinal, o título é um marco na história dos First Person Shooters (FPS) ou jogos de tiro em primeira pessoa. Anteriormente, os jogos 3D  ainda tinham como base os conceitos do início da década. Dessa forma, o gênero FPS se alimentava de Doom e demais jogos da ID Software.

O início do game

O “bam” de Half-Life aconteceu antes do jogo ser lançado, com a apresentação de uma demo em 1997. 

Cory Barlog, atual diretor de God of War (Sony) estava trabalhando em um projeto nada ambicioso. Se tratava apenas de um FPS com o que de melhor havia na época em matéria de gráficos e design, mas sem preocupação com a inovação (outra cópia de Doom).

Gabe Newell

Barlog estava com tudo pronto pra o lançamento de seu genérico para apenas buscar um lugarzinho no mercado. Contudo, Gabe Newel – um dos caras que participou do projeto Windows 95 com Bill Gates–lançou a demo do primeiro jogo do seu estúdio, a Valve, intitulado Half –Life.

 

Cory e a equipe da Cyclone Studios preferiram se manter como desenvolvedores Indies (independentes) e não se juntar à 3DO Company. Depois de ver que a demo de Half-Life superava em qualidade e tamanho o seu jogo, a Cyclone se apressou em assinar com a 3DO para darem um up no investimento, e assim foi lançado Requiem:  Avening Angel, que por sinal, pouquíssimos já ouviram falar.

 

No documentário Unforseen Consequences, lançado pela Noclip no final de 2018, Cory descreve que a demo de Half – Life fez a indústria de jogos pensar e ver de forma diferente as suas criações. O game inovou e deu aquilo que a mídia buscava em termos de narrativa, áudio e gameplay, pois mudou a indústria e transformou o mundo dos jogos pra a forma atual. Assim,em 1998, o jogo foi lançado superando as expectativas.

Half-life

HL apresentou um novo conceito, trazendo elementos de narrativa e interatividade, o que é normal nos dias de hoje para se contar uma história com imersão. Ele era diferente dos muitos FPS da época, que eram puramente de ação frenética e com diálogos rasos. Afinal, não havia uma equipe voltada para este quesito.

Um protagonista diferente

O jogo foi na contramão das criações usuais colocando Gordon Freeman como protagonista. Isso se deve ao fato de ele ser um trabalhador com PhD em física obrigado a fugir de um centro secreto de pesquisa depois de um desastre com experimentos de teletransporte.

As mecânicas revolucionárias de Half-Life  

Junto disso tudo, o game atribui armas e ferramentas de forma inteligente nas mãos dos jogadores e os ensina como usar cada uma. Como resultado, temos algo ditado em um ritmo incansável. Depois de armas mais leves, como o pé-de-cabra serem apresentados, pistolas, shotguns e rifles são liberados. O armamento possuía incríveis efeitos sonoros com uma jogabilidade sem travas. O bom desempenho resultou em um Mod que revolucionou os E-Sports, conhecido hoje como Counter Strike.

Counter Strike, um mod que mudou pra sempre os E-Sports

Como resultado, Half-Life  preparou o caminho para a estrutura moderna dos jogos eletrônicos de grande orçamento e isso o fez entrar para indústria. O fato colocou uma pressão enorme na Valve para o que viria depois, mas era apenas o começo de algo ainda mais grandioso.

 

Hamilton Costa

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.