Lily Allen: assédio faz parte da composição do novo álbum

O cabelo colorido e a voz suave de Lily Allen são tão doces que nem dá para dizer que a cantora […]

O cabelo colorido e a voz suave de Lily Allen são tão doces que nem dá para dizer que a cantora saiu de uma depressão. O álbum “No Shame” traz a britânica de volta ao mercado musical depois de quatro anos, a maternidade, um divórcio e abuso sexual. O primeiro hit, “Lost My Mind” mostra como o tempo foi conturbado para ela.


O vídeo traz Allen em um quarto, que gira conforme a discussão com seu parceiro acontece. A melancolia, principal item do hit, se encaixa perfeitamente quando começa a chover e alagar o cômodo. A analogia é clara ao tempo nebuloso que a artista passou e assim ela promete em todas as faixas. Segundo entrevista à imprensa, Lily não fez um álbum para ter hits ou fazer sucesso, mas para ser ouvido e sentido como uma obra completa. Não é a toa que ela demorou tanto tempo para lançar, não?

Segundo entrevista à Rolling Stone, ela afirma que “Estava escrevendo música pelas razões erradas. Ou não as razões erradas, só razões que não se encaixavam comigo e eu não sabia quem eu era. Estava tendo uma crise de identidade e pela primeira vez na minha carreira profissional eu meio que deixei outras pessoas tomarem decisões por mim, o que eu nunca tinha deixado antes. Ninguém estava me manipulando ou me empurrando para algum lado. Eu só não sabia o que fazer, então pela primeira vez estava pedindo para pessoas, mais do que sabendo e então executando. E foi certamente uma bagunça”.

Claro que uma declaração dessas deve estar diretamente relacionada com a acusação de assédio que Lily fez contra um membro da indústria musical. Sem divulgar o nome do responsável, ela afirma que não recebeu apoio nem das mulheres que estão à sua volta, nem de sua gravadora. Em entrevista à Evening Standart, a britânica disse que não foi ajudada neste momento principalmente pelo assédio ser de alguém com muito mais poder que ela, além de maior capacidade de gerar lucro.

Será que seria um novo caso de Harvey WeinsteinMas invés do mundo cinematográfico, o musical? Esperamos que logo isso se resolva. Enquanto isso, aproveitamos a nova fase do trabalho artístico da britânica.

 

 

SOBRE O AUTOR

Ana Szezecinski

Aquela do sobrenome complicado e que usa protetor solar 50. Jornalista.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.