Vida do Bardo #8 — Eu Vejo Você

Leia o 8 vida de bardo. Um espaço para você que gosta de uma boa prosa!

Leia esta prosa junto ao som abaixo:

Eu Vejo Você

Eu vejo você. Não olhe para os lados. Sim, sim, eu vejo você.

Aí, parado, espiando. Totalmente à mercê.  À espreita no escuro.

Escuro lhe cai bem. Escondendo-se por entre vielas estreitas de sonhos.

Sonhos de outrora, sonhos de outrem.

Não acreditei, quando abri esta porta.

Ao entrar e te ver.

Espero que esteja confortável aí. Que seus dias sejam agradáveis.

Confortáveis. Aprazíveis…

Olho e sinto aquele fogo queimando minha garganta, saindo por minhas narinas.

Ciúmes, eu acho.

Então lembro.

Eu lembro… foi no dia 2 de novembro.

O véu escarlate caiu e, com ele, você sumiu.

Sumiu para sabe-se lá onde.

Por entre florestas e pradarias e pântanos de enganos.

Para bem longe,

longe de ti,

longe de mim.

Agora estou aqui, agora te encontrei, agora quero saber. 

Por onde anda o seu querer?

Eu vejo você. Não olhe para os lados. Sim, sim, eu vejo você.

Eu só quero saber o por quê.

Aí, parado, espiando. Totalmente à mercê. À espreita no escuro.

Só quero saber.

“Engraçado.”
Ouço.

“O escuro também lhe cai bem.” 

SOBRE O AUTOR

Guilherme Martins

Escreve coisas e deixa o cabelo crescer de vez em quando. Publicou seu primeiro livro ano passado, uma coletânea de contos intitulada Os Fantasmas de Lídia.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.