VOCALOID? Mas sua cantora favorita nem existe, cara!

A Hatsune Miku, um VOCALOID, está fazendo 11 anos hoje. Mas, afinal, o que é VOCALOID? Quando surgiu? Qual seu impacto na cultura pop japonesa?

Todos sabem que o Japão é um país um tanto quanto… “excêntrico”. A cultura é bastante diferente da nossa, ocidentais. Isso combinado à tecnologia do país influencia muito os interesses dos japoneses. E uma das áreas afetadas por essa tecnologia é a música, com os VOCALOID.

VOCALOID são sintetizadores de voz lançados pela primeira vez em 2004 pela YAMAHA, com versões em inglês e em japonês. O banco de voz dos programas é feito a partir de pessoas reais, que realizam gravações de fonemas baseados na língua que o software irá focar.

A primeira caixa do software de Hatsune Miku para o VOCALOID2.

A primeira caixa do software de Hatsune Miku para o VOCALOID2.

Entretanto, nossa rainha Hatsune Miku foi lançada apenas em 2007, na segunda engine do projeto (VOCALOID2). Com o lançamento de Miku, os VOCALOID ganharam ainda mais atenção do público, dentro e fora do Japão. Com a criação de serviços de streaming, como o YouTube, os cantores virtuais alcançaram outros países ao redor do mundo, chegando no ocidente. E com esse crescimento no interesse pelos sintetizadores de voz e as possibilidades que eles traziam, mais e mais softwares foram lançados. Estes, em sua maioria, são em japonês, já que o maior número de consumidores está na terra do sol nascente.

LEIA MAIS: Perfect Blue: o Cisne Negro dos animes?
LEIA MAIS: Expressões que vão te ajudar a entender os desenhos japoneses

Miku foi o sétimo VOCALOID a ser lançado e o primeiro da série Character Voice, personagens com uma voz que combinasse com sua aparência. Seu design e sucesso com o público tão grande que foram lançados outras versões de seu banco de voz, como uma versão em inglês. Mas ela não ficou apenas no mundo virtual: figures, camisetas, pelúcias, pôsteres, jogos… Qualquer coisa que você pode imaginar, provavelmente tem da menininha de cabelo azul. Tanto é o sucesso dos VOCALOID que vários shows são feitos anualmente no Japão.

Figure da Miku no vídeo "Senbonzakura". Reprodução: Goodsmile

Figure da Miku no vídeo clipe de “Senbonzakura”. Reprodução: Goodsmile

Sim.

Shows. Espetáculos. Concertos. Milhares de pessoas de verdade vendo um holograma com movimentos e falas pré-programados para interagir com o público. E não apenas a Hatsune Miku, mas também os outros VOCALOID que fizeram sucesso com suas aparências de boneco de anime, como Megurine Luka, os gêmeos Kagamine Rin e Len e a GUMI/Megpoid. Os shows também possuem uma banda ao vivo (de pessoas reais) e arranjos e mashups únicos.

Hoje, dia 31 de agosto, é o aniversário de 11 anos da Miku. E a cantora virtual teve inúmeros avanços em seu banco de voz e design nesta última década, além de alcançar milhares de fãs pelo mundo todo. Tanto é o seu sucesso nas terras ocidentais, incluindo o Brasil, que no evento Anime Friends deste ano teve o primeiro show dela nas terras tupiniquins. Rainha acessível faz assim, né, amores?

A mente por trás do programa

Já enalteci o suficiente um programa de computador. Então, vamos falar sobre as mentes criativas por trás disso. Os VOCALOID foram ganhando mais personalidade em seu design e voz conforme evoluíram. Entretanto, eles não seriam nada sem os produtores que os usam para suas músicas.

A ideia do VOCALOID é para que músicos independentes possam literalmente dar voz aos seus trabalhos. Os produtores de músicas de VOCALOID (producers) também “formam” o caráter dos personagens, já que eles são adaptáveis às necessidades de cada autor. Algumas pessoas se surpreendem quando escutam uma música da Miku que tem uma mensagem mais dark, triste. Isso ocorre porque estão acostumadas às músicas pop felizes que fazem mais sucesso e associam diretamente à personalidade da personagem. Porém, os VOCALOID são uma espécie de “atores”, que representam o sentimento que o producer quer passar por suas canções.

Entretanto, as pessoas têm sua atenção atraída para o VOCALOID que canta a música e muitas acabam esquecendo os artistas por trás do programa. Nos shows, são apresentadas canções de diversos producers. Mas acabamos lembrando apenas do programa, e não do autor que fez a letra e o arranjo da música.

Assim, da próxima vez que ouvir uma música de VOCALOID, procure quem é o producer: você provavelmente vai gostar das outras obras dele. Pessoalmente, meus producers favoritos são Nashimoto-P, Kairiki Bear e Giga-P. Eles usam outros VOCALOID além da Miku.  Recomendo!

Aliás, um álbum comemorativo de 10 anos foi lançado ano passado, com novas músicas de vários producers consagrados e sucessos dos últimos anos.

Confira algumas das principais músicas da nossa aniversariante!

砂の惑星 (Suna no Wakusei, lit. Planeta de Areia) por Hachi/Kenshi Yonezu

カゲロウデイズ (Kagerou Days, lit. Dias de mormaço) por じん/自然の敵ーP (Jin/Shizen no Teki-P)

World’s End Dancehall (feito com outra VOCALOID, Megurine Luka) por wowaka

SOBRE O AUTOR

Rafaela Hermes

Meme queen, lolzeira. Estudante de jornalismo e edito vídeos. "Anime was a mistake".

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.